segunda-feira, 17 de junho de 2013

O grito da Geração 90


Os novos revolucionários
A nova juventude
Estão nos mesmos cenários
Caçando virtude

A nova classe média
Empunha seu cartaz
Não é mais comédia
O palhaço ficou para trás

O bagulho é tenso
Diz o jovem de noventa
Momento propenso
Para um herói que se inventa

Ainda falta uma unidade
Um motivo, uma imagem
Com toda sinceridade...
Não é só pela passagem

O jovem está insatisfeito
Com tamanha injustiça
Um Estado de Direito
Não abusa da polícia

Onde estará a democracia
E a garantia da Constituição?
Será apenas ideologia?
Copa, Olimpíadas, Circo e Pão?

O jovem quer falar
Quer exercer a vitalidade
Quer sexo, paz, quer amar
Quer um brado pela insanidade

Mas ainda falta uma liderança
Que congregue a multidão
É como adormecer a criança
No olho do furacão

A juventude soltou o seu grito
Não adianta gás lacrimogêneo
Polícia, bombeiro, conflito
A sede de justiça é nosso oxigênio

Ineficazes são as balas de borracha
E o velho spray de pimenta
Os jovens que estão em marcha
São os bravos da geração noventa

Que a luta não termine em morte
Que a voz não se cale com o fuzil
O jovem não foge à luta, é forte
É filho da Pátria Amada, Brasil.

(Filipe Medon)

Um comentário:

  1. excelente,parabéns rapaz você escreve bem!

    ResponderExcluir